Reflexo do acirramento político nas Eleições de 2018, o clima de tensão entre quem diverge chegou à Universidade Federal do Ceará (UFC). Nos últimos dias, uma série de notas foram lançadas por entidades como Adufc, Sintufce e Comissão de Direitos Humanos, além da própria Reitoria da instituição, alertando para a gravidade do momento no ambiente acadêmico. Tradicionalmente um local tido de posturas de esquerda, quem defende essas bandeiras agora enfrenta um conflito ideológico cada vez mais violento com militantes e eleitores de direita.

No último dia 12 de outubro, a UFC emitiu nota condenando radicalismos de “quaisquer colorações” dentro da universidade. No texto, o reitor Henry de Holanda Campus não citou nominalmente os candidatos a presidência e nem defendeu um dos lados que estarão na disputa do 2º turno das eleições. No entanto, citou “atos de patrulhamento ideológico e intolerância explícita, que não condizem com a tradição de liberdade e pluralidade característica do ambiente acadêmico.”

Diretor do Sintufce aponta preocupação dos servidores

 “A gente tem observado um clima que preocupa, principalmente com o acirramento de algumas posturas. A universidade sempre foi um espaço de muita pluralidade, espaço que as pessoas, independente de credo, ideologias, se sentiam acolhidas também. Existe um movimento que parece ter se organizado para impedir pessoas de exercer sua liberdade, e alimentar o ódio contra o que é diferente, os negros, LGBTs, estudantes cotistas. Isso é preocupante”, avaliou Wagner Pires, diretor de Campi Avançados do Sindicato dos Trabalhadores das Universidades Federais no Estado do Ceará (Sintufce), que também lançou nota sobre o assunto.

Wagner diz que o ataque a Júlio foi o ponto alto do que vem ocorrendo nos campi da UFC. Outros relatos semelhantes chegam ao sindicato. Segundo ele, o sindicato tem observado ameaças veladas. “Isso é prejudicial para a democracia, para uma instituição que está entre as melhores do país justamente por ter essa abertura, está sendo podada por grupos que estão se organizando e, embora não afirmem, se identificam claramente com bandeiras fascistas. Em conversa com servidores, estudantes e professores, existe um medo, eles já não se sentem mais à vontade na universidade”, completou.

Fonte: Tribuna do Ceará

Clique AQUI para ler a matéria completa

O Sintufce realiza nesta terça-feira (23), às 16h, no pátio da Reitoria da Universidade Federal do Ceará (UFC), debate sobre as perspectivas do serviço Público pós-eleições, com participação de Gibran Jordão, servidor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e membro do Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais (Fonasefe). O objetivo é dialogar com os técnico-administrativos da UFC sobre a jornada de trabalho, instruções normativas, decretos e medidas provisórias que afetam os direitos dos trabalhadores.

 

 

A diretoria do Sintufce, representada pelos coordenadores Wagner Pires e Fernando Gadelha, percorreu, nos dias 17 e 18, os campi avançados da Universidade Federal do Ceará (UFC), em Crateús e Russas, com o objetivo de apresentar as ações do sindicato para os servidores dessas regiões. Durante a visita, os diretores saudaram os novos técnico-administrativos da UFC e falaram sobre o posicionamento do Sintufce no segundo turno das eleições presidenciais em favor de Fernando Haddad.

Para o delegado sindical de base Renato Gomes, servidor do campus de Russas, é mais do que nunca preciso “apoiar um projeto de governo que defenda as nossas universidades e continue a expansão, da qual o campus de Russas aqui é fruto".

Segundo o coordenador de Campi do Sintufce, Wagner Pires, as atividades nos dois campi foram bastante positivas para os participantes, pois os servidores também puderam vivenciar o clima de luta do Sintufce diante da atual conjuntura política e econômica do país e ainda tiveram oportunidade de  tirar dúvidas sobre a atividade sindical.

A Federação de Sindicatos de Trabalhadores Técnico-administrativos em Instituições de Ensino Superior Públicas do Brasil (FASUBRA), em conjunto com outras entidades que representam a comunidade do sistema  federal de ensino no país, assinou e entregou uma carta de reivindicações  ao candidato à Presidência da República, Fernando Haddad (PT).

A carta apresenta algumas das principais reivindicações da categoria que, conforme aponta o documento, têm sido ignoradas pelo atual governo. “Tais propostas e ideias estão alicerçadas na compreensão de que a educação pública, gratuita, laica e de qualidade nunca esteve tão ameaçada por um projeto liberal conservador com traços fascistas que vêm ganhando audiência de massas e que demonstra força política capaz de produzir um retrocesso histórico e civilizatório para a nossa sociedade”, informa o documento.

 

Leia na íntregra a carta de reivindicações entregue pelas entidades do sistema federal de ensino ao candidato Fernando Haddad.

 

 

Saudações!

Nosso país vivencia um momento conturbado de sua história, onde a democracia, os direitos sociais e as garantias dos mesmos estão sob uma forte ameaça, decorrente de um processo de golpe que culminou em claros problemas para o Brasil. Na educação não é diferente. Recentemente, o governo federal (através do MPOG) publicou a Instrução Normativa n° 02 (Setembro/2018), que normatiza a jornada de trabalho. Como é compreensível que este governo não possui legitimidade para tal, foi incrementada a política de controle eletrônico de frequência.

Diante desse resumo e do que pode acontecer com um novo governo de viés “fascista”, não podemos mais estar inertes observando uma situação que futuramente nos atingirá. Por este e outros motivos, conclamamos a todos os servidores e servidoras Técnico-Administrativos em Educação da UNILAB, bem como docentes e estudantes, a participarem do Debate sobre As Perspectivas do Serviço Público pós- eleições, com o servidor e membro do FONASEFE, Gilbran Jordão, que debaterá juntamente conosco a situação e os desafios do presente e futuro.

Chame os (as) colegas!!!!

Mobilize!!!

Não vamos perder mais tempo!!!

Juntos somos mais fortes!!!

Francisco de Assis Silveira (TAE UNILAB)

 

contact
Endereço
Rua Waldery Uchoa, 50 | CEP: 60.020-110, Benfica / Fortaleza-CE
Telefone
3052.3650 / Fax: 3052.3651