Parece que entramos em uma estranha temporada climática. Nela, os dias são cada vez mais sombrios a julgar pela quantidade de absurdos e retrocessos que vitimam as universidades. Como se não bastasse ser alvo de um imenso ódio por parte dos obscurantistas que encontraram esconderijo por trás do fascismo, temos que conviver com constantes ameaças a autonomia universitária e sofremos com a ganância e os escusos desejos daqueles que são capazes de vender a própria alma ao diabo pelo poder. O que farão, portanto, à universidade?

Essa gente saiu de suas covas nauseabundas e agora mostram suas garras e arreganham seus pútridos dentes para a comunidade, seja para apossarem-se da reitoria, seja para se esbaldarem nas diretorias dos centros e campi. Essa gente, a exemplo de Bolsonaro, conduzida ao cargo sem ter a mínima estatura para tal, deseja dirigir nossas universidades e campi para o descalabro, para a privatização, enfim, para o sem futuro do Future-se. É dessa gente admirável que saem os interventores bolsonaristas, que não satisfeitos em estarem entalados na garganta da comunidade universitária, desejam replicar o modelo e golpear a autonomia de alto a baixo, interferindo nos campi, nas unidades acadêmicas e, se não forem detidos, intrometendo-se até na rotina das atividades de Ensino, Pesquisa e Extensão dos diferentes cursos.

Dito isso, não nos espanta que em Quixadá, no Sertão Central cearense, surja um tirante tentando torna-se diretor do Campus, sem respeitar a decisão do Conselho do Campus, que utilizou os normativos legais para montar sua lista tríplice.

Tendo sido derrotado em todos os recursos impetrados, tenta agora apelar ao Interventor Mor que hoje despacha por aí em qualquer canto, pois não tem coragem de fazê-lo na reitoria para não ter que olhar nos olhos de técnicos, professores e alunos que ali estão para lembrar-lhe que não deveria nem ter cogitado estar ali, quanto mais recebido das mãos de um governo inimigo da educação um cargo para o qual aceite, apenas demonstrou que ele não deveria estar ali!

Por isso, nós do SINTUFCE nos colocamos ao lado da comunidade de Quixadá e repudiamos esse golpe que busca atingir a autonomia do campus e colocar a UFC de joelhos para o interventor e para o governo fascista que lhe dá apoio.

CONTRA O FUTURE-SE! EDUCAÇÃO NÃO É MERCADORIA!

RENUNCIA JÁ DO INTERVENTOR!

TOTAL REPÚDIO À TENTATIVA DE GOLPE NA UFC QUIXADÁ!

DERROTAR NAS RUAS BOLSONARO E SEUS ASSECLAS!

 

Diretoria Colegiada do Sintufce

Sindicato dos Docentes das Universidades Federais do Estado do Ceará (ADUFC - SINDICATO)

 

 

contact
Endereço
Rua Waldery Uchoa, 50 | CEP: 60.020-110, Benfica / Fortaleza-CE
Telefone
3052.3650 / Fax: 3052.3651